A arte de imigrar

7083mapa

Idioma estrangeiro fluente tornou-se 'obrigação' no mercado brasileiro

 Sem garantia de emprego, moradia ou qualquer sustentabilidade, brasileiros aventuram-se mundo à fora em busca de melhores oportunidades – associada a realização pessoal. A decisão de ‘abandonar’ o país tornou-se comum dentre a população [brasileira] diante da valorização de um idioma estrangeiro fluente. É o caso do brasileiro Jonathan Ferreira, atualmente um habitante de Costa Rica.

Para a escolha do país destino é necessário traçar uma meta. “Já que sairia de casa, ficaria longe de tudo e de todos, resolvi ir para um lugar que me agradava. Fiz uma lista de países com praias lindas, ondas perfeitas e clima parecido com o Brasil, foi onde encontrei países de diferentes continentes, como América, Europa e Oceania”, diz Jonathan, engenheiro formado (antes da imigração).

No Brasil, o mercado de trabalho valoriza cidadãos que tenham um idioma estrangeiro fluente. Jonathan descobriu que, tão importante quanto o conhecimento de uma língua estrangeira, definir sua principal necessidade é fundamental. “Antes de viajar minhas metas para o futuro eram aprender outro idioma para aplicá-lo em minha área – engenharia – e abrir novas portas profissionais. Hoje estou aprendendo o espanhol e tendo aulas de inglês, porém não quero mais aplicar estes conhecimentos na minha formação. Para falar a verdade, não quero mais trabalhar em engenharia e tampouco sei o que farei quando eu voltar ao Brasil. Penso em buscar algo novo”.

Adaptar-se ao país de imigração leva tempo, paciência e muita persistência. A dificuldade para entender e se fazer entender pode parecer um abismo e tornar-se o maior motivo para o retorno à casa. “A dificuldade de aceitar o novo cotidiano tornou-se maior com as diferenças geográficas. Aqui existem furacões, vulcões, terremotos – ocorrem tremores com frequência. Logo na primeira semana de Costa Rica houve um terremoto onde matou dezenas de pessoas. Isso me abalou um pouco. Me acostumei com isso”. Comenta o engenheiro quanto as dificuldades enfrentadas.

E porquê?

Nada contra aos brasileiros que decidem morar em outros países. É a condição imposta. Aceitar o slogan ‘Brasil um país de todos’, enquanto todos são condicionados a americanização, ao apego a línguas adversas, é algo irritante. Entende-se que o EUA é a maior potência existente e o principal destino de pessoas que buscam melhores oportunidades . O mundo é movido pela máquina americana. Nem por isso se justifica o fato de alunos da oitava série do ensino fundamental não saberem escrever, sequer ler dignamente um texto – escrito na língua portuguesa. Nossos povos imigram… E enquanto criamos analfabetos, [eles] criam brasileiros americanizados.

4 respostas para A arte de imigrar

  1. jonathan duque disse:

    A verdadeira conquista nao esta no idioma aprendido, mas sim nas experiencias adquiridas, nas amizades construidas, e na maneira que aprendemos a valorizar todas as nossas coisas e companhias..

  2. Paulinho disse:

    Nitya, querida, ficou ótima. Beijo

  3. luiz carlos holanda barreto disse:

    é isso msm mlk…….

    boa sorte ai e tudo d bom pra ti…..

    flo abraço do seu brother aki da pg……

  4. Drika disse:

    “A grande arte da vida é acordar depois de um sonho, levantar depois de um tombo, sorrir depois de uma decepção e nunca desistir e seguir sempre em frente”

    Que tudo dê certo na sua vidaa.

    Quero parabenizar por sua força de vontade (menino estudioso).

    By: Drika

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: